Pular para o conteúdo principal

Mundo | Ditadura da Venezuela torna líder opositora María Corina inelegível por 15 anos

Mundo | Principal nome da oposição ao regime de Nicolás Maduro hoje na Venezuela, María Corina Machado está inabilitada de exercer cargos públicos por 15 anos, segundo decisão da Controladoria-Geral compartilhada pelo deputado José Brito nesta sexta (30).
• 30 de junho de 2023 | Mundo
| Foto: Leonardo Fernandez Viloria/Reuters

De acordo com o órgão, a inabilitação de María Corina, 55, dá-se por irregularidades administrativas da época em que foi deputada, de 2011 a 2014. A medida foi imposta contra ela em 2015, mas tinha vigência de um ano apenas. A extensão, justifica a Controladoria, seria porque ela apoiou sanções dos EUA contra Maduro.

No Twitter, María Corina, que desponta como o principal nome para as primárias da oposição, disse que a medida é inútil. "Isso só demonstra que o regime já sabe que está derrotado", escreveu. "Agora votaremos com mais força, mais rebeldia e vontade nas primárias."

O também opositor Henrique Capriles saiu em defesa da ex-deputada. "A inabilitação de María Corina é uma ação inconstitucional, infundada e vergonhosa", disse ele. "Rechaçamos de maneira categórica esse novo exemplo do rumo antidemocrático de Maduro e de seu regime."

María Corina lidera as pesquisas para as primárias convocadas para selecionar entre 13 candidatos o nome da oposição em unidade para enfrentar Nicolás Maduro nas urnas em 2024.

Há grandes dúvidas sobre a viabilidade das eleições. Há poucas semanas, por exemplo, houve uma debandada da ala chavista do Conselho Nacional Eleitoral (CNE), o que foi interpretado pela oposição como uma medida de boicote às eleições gerais.

Em março, o governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) enviou o assessor especial da Presidência para assuntos de política externa, o ex-chanceler Celso Amorim, a Caracas, para conversar com Maduro e com representantes da oposição sobre as eleições.

O diplomata retornou ao Brasil afirmando estar otimista. "Todos manifestaram lá o desejo de eleições competitivas. É a expectativa real. Em 20 anos de contato com o país, nunca vi um clima tão grande de incentivo à democracia", disse ele à Folha na ocasião.

Nas últimas semanas, declarações de Lula sobre a ditadura da Venezuela levaram a críticas públicas. Nesta quinta (29), por exemplo, ele relativizou durante entrevista as críticas ao regime autocrático de Maduro alegando que a democracia é um conceito relativo.

| Fonte: Folha de São Paulo / Terra Brasil

| Open.blog.br © simplesmente tudo.
| OpenBrasil.org © conecte-se com o mundo.


OpenBrasil.org | Conecte-se, é fácil e muito útil.